Imagem capa - Até onde vai a sua Generosidade? por Marcos Bilate
Lição de Vida

Até onde vai a sua Generosidade?


Até onde vai a sua generosidade?


Contar histórias me move! Acho que nunca vou me cansar disso!

Todos os dias aprendemos algo novo, as vezes pequenas coisas, mas sempre algo. Pois foi em 4 de março de 2019 que a minha vida tropeçou com a história da Leci. Uma de suas filhas estava à procura de um fotógrafo para o seu aniversário de 77 anos! Sim, sete sete! E me pediu um orçamento.

Despretensiosamente liguei para Angélica (quem me procurou) para saber mais detalhes sobre o evento. Foi nesse momento que a conexão aconteceu. Descobri que a aniversariante estava lutando bravamente contra uma doença, a mesma luta que meu pai havia travado anos antes. Naquele momento entendi que o aniversário seria muito mais especial do que eu havia imaginado.

O pedido havia sido fotografar um almoço, depois uma celebração de ação de graças na parte da tarde e a festa de aniversário. Mas depois descobri que toda a família, incluindo várias pessoas de outros estados, viria para a confraternização. Todos hospedados na mesma pousada.

Dai vem a primeira pergunta: Quantas pessoas são tão especiais a ponto de fazer uma família inteira se mobilizar?

Infelizmente, não consegui conhecer a Leci antes do evento. Mas toda a frustração passou quando meu olhar cruzou com o dela pela primeira vez!


Sabe o que eu vi?


Um sorriso!

Uma felicidade que brota Deus sabe de onde...

Uma fênix!





Como meu coração ficou feliz quando a vi radiante! Talvez só quem já acompanhou alguém nessas condições sabe o valor que aquele sorriso tem. Tanto para ela mesmo quanto para as pessoas que a amam!






Assim foi o meu primeiro contato! O aniversário era dela, mas quem ganhou o maior presente fui eu! Sou um cara de muita sorte mesmo! Rs!





Então vamos a primeira missão: juntar os irmãos! Isso é fácil quando se tem um ou dois! E quando se tem um time inteiro?






Missão cumprida!

Então vamos almoçar!





O nosso primeiro contato foi breve. Tínhamos que poupar energias. Não demorou muito para que ela se recolhesse.


Então as primeiras lições do dia:

Um sorriso pode mudar o dia de muitas pessoas a sua volta

Viva intensamente

Dê importância ao que é importante

Dê importância a quem é importante

Não importa o que aconteça, a sua família sempre será a sua família!






No fim das contas, a celebração de ação de graças e a festa não foram uma despedida! Foi uma celebração à vida!

Naquela noite Leci me ensinou que a vida é para ser vivida! Ela dançou em cima das limitações, bailou em cima das dificuldades, sorriu para as dores, aplaudiu a vida e como uma diva, beijou e abraçou seus cúmplices.











Foi sem dúvida a festa mais emocionante que eu já vivi. Essas pessoas me acolheram naquele dia como se eu fosse parte da família e me permitiram ver e sentir a gratidão! Um “muito obrigado por tudo” não dito verbalmente, mas transmitido naquele dia.





Aprendi também que o carinho é o melhor remédio do mundo! Pode até não funcionar muito bem para o corpo, mas sempre funciona para a alma!





Durante a missa houve um momento onde foi feito o pedido para que todos ajudassem, com o que pudessem, aos desabrigados de Moçambique. Sim! Leci estava preocupada, nessa altura do campeonato, a ajudar àqueles que precisam de fato de ajuda.




Tá... mas se passou pela sua cabeça que são nessas horas de dificuldade que damos valor a essas coisas e tal... Sinto muito te dizer que não foi bem isso que eu senti. Como eu posso afirmar isso? Porque há anos ela adotou um menino já com 11 anos e lhe deu a oportunidade que a vida se negava a dar de se educar e se tornar um grande homem. Adotar uma criança já não é uma tarefa simples. Um adolescente... não é pra qualquer um não! E vai... pare e pense comigo. Quando se fala de adoção, estatisticamente qual é o estereótipo da que tem a menor probabilidade de ser adotada? Agora pense: Então qual é a que precisa de mais ajuda? Bingo! A luta sempre foi para levar esperança onde menos se tem.

Isso é um grande indício de que ajudar o próximo não foi um ato, foi uma missão! Foi uma vida!


Isso me levou a uma grande pergunta: Mas por que Moçambique? A resposta foi avassaladora! Separa o seu lenço ai. Você vai precisar!



A campanha S.O.S. Moçambique foi instaurada pela instituição Fazenda da Esperança, que é organizada pelo frei Hans Stapel. A história da Leci com essa organização é bem estreita e de longa data! Leci já era colaboradora e embaixadora dessa instituição há aproximadamente 12 anos.

Mas o que é a Fazenda da Esperança? Bom, ela tem como finalidade a recuperação de dependentes químicos. O projeto começou em Guaratinguetá (SP) nos meados dos anos 80 e foi lá onde Leci conheceu o frei Hans. A afinidade entre os dois levou ao firmamento de um compromisso de colaboração mensal e visitas frequentes às fazendas desde então (até 2019, haviam duas dessas aqui no estado do Espírito Santo, Serra e Alegre, e uma terceira em construção).

Nos anos 2000 a Fazenda da Esperança ganhou notoriedade e várias outras unidades abriram no mundo todo! Inclusive em Moçambique. Não precisa ser muito antenado para saber que a região é muito carente! E a Fazenda da Esperança daquele lugar não é diferente. Há bastante tempo opera com muita dificuldade.

Como se não fosse suficientemente ruim, em março de 2019 (pouco antes do aniversário da Leci) o Ciclone Idai devastou o lugar! A Fazenda da Esperança primeiro ficou de baixo d’água e depois ficou ilhada! A partir desse momento, todas as Fazendas do resto do mundo uniram esforços para socorrer tanto a população da fazenda quanto das famílias carentes do entorno.

Daí que veio a ideia de Leci! O que ela queria era socorrer aqueles que mais precisavam dela naquele momento. A demanda era urgente por alimento, comida e pela reconstrução da vida.

Mas quando a força e a vontade são grandes, as coisas tomam uma dimensão fora do que se pode compreender! A partir da colaboração de um dos seus filhos (não bastava ser boa, tinha que replicar!), eles conseguiram um apoio internacional que levou a uma ajuda de custo significativa que auxiliará na reconstrução. Uma das casas que será erguida com essa ajuda levará o nome de Leci em homenagem aos seus esforços. Leci Nogueira de Souza.

Mas o seu comprometimento não para por ai. Ela fez questão, de se cercar de pessoas recuperadas nessas fazendas. Um exemplo foi oferecer nova oportunidade de emprego como uma de suas cuidadoras. E PASME! Após o seu aniversário de 77 anos, mesmo muito debilitada fisicamente, ela fez questão de retornar à Fazenda da Esperança de Serra porque ainda não a conhecia!



As fotos a seguir foram cedidas pela Angélica, filha de Leci durante a visitação à unidade Serra em abril de 2019








Agora pare e pense! Você consegue imaginar o tamanho dessa mulher? Ela nem é minha mãe e eu tenho um ORGULHO ENORME de ter vivido apenas algumas horas com ela!!!

Por isso, a impressão que eu tive nesse breve contato que tive, repito novamente, é que ajudar o próximo não foi mais um ato de Leci, foi uma vida! Não foi uma, foi a missão! A missão encarada do primeiro ao último minuto de Leci! Sim, ao último minuto. Alguns dias depois ela descansou.

Uma outra coisa ficou marcada. Quatro dias depois da festa, quando levei o álbum para aprovação, Leci me disse: “Quando eu me for, não quero ninguém chorando. Eu quero é festa. Eu quero ver é todo mundo feliz!”. Essa era a missão! Vou repetir! “Eu quero ver é todo mundo feliz!”

Se você chegou até aqui nesse texto, é porque você se comoveu com a história! Então não deixe a missão perecer! Eu te convido a praticar o mínimo! Ao menos uma ação por ano que ajude alguém que precisa. Pode ser do seu jeito, da forma que puder, mas faça! Não precisa ser com dinheiro. Pode ser com o seu tempo ou trabalho! Por que não ir a um lar de idosos e passar uma tarde com eles? Simples não? Quando você receber um sorriso de volta, verá a magia acontecer!

Ah, eu havia dito que um sorriso podia mudar o dia de uma pessoa? Acho que eu menti! Ele pode mudar a vida de uma pessoa! Hoje eu vejo as coisas um pouco diferente do que eu via antes de conhecer Leci. E tudo começou com um sorriso!

Hoje sou muito grato por ter tido a oportunidade de conhecê-la. Dei o meu máximo e me entreguei de corpo e alma naquele fim de semana para poder colocar ao menos um sorriso no rosto dessa grande mulher com as imagens que produzimos. Agradeço ao Luciano Peres da encadernadora Art in Album por ter produzido o álbum em tempo recorde e a tempo de poder mostrá-lo à Leci. Ainda em tempo agradeço à minha esposa pela compreensão da importância desse trabalho! Tadinha, estávamos com uma bebê recém-nascida em casa e ela teve que dar conta de tudo praticamente sozinha por dois dias até eu terminar de fazer as fotos, editar, tratar e diagramar o álbum!

Lição? Juntos somos mais fortes! Então ajude! Se todos nos ajudarmos, não tenha dúvida que quando você precisar, também haverá uma mão estendida para você!


Até onde vai a sua generosidade?

Doe esperança, viva, sorria e lute como uma Leci!






Nas palavras de seus entes (adaptado de autor desconhecido)

“Ela era Luta!

Lutou todos os dias!

Lutou até o fim!

Quis viver e viveu como poucos.

Continuará viva entre nós!

Viveu para os seus

Viveu com os outros.

Compartilhou a fé e a vida...

Vai estar sempre presente.

Seu testemunho fica, seu exemplo edifica.

Viveu intensamente.

Quis viver e viveu sem se entregar para dor, com resignação.

Ensinou lições todos os dias, com amor e generosidade.

Espalhou a esperança de um mundo melhor por onde passou.

Conquistou amizades, iluminou caminhos testemunhou com a vida, nos deixou saudades.

Agora ela foi embora?

Foi nada! O céu é logo ali..."





E ai, curtiu? Vamos tomar um café e trocar uma ideia?


Me chama aqui!


Será um prazer conhecer você!


Se você curtiu esse conteúdo, se inscreva na minha lista de e-mail e receba outros materiais como esse. Ah, e não se preocupe. Não irei lotar a sua caixa de e-mail e nem enviar SPAM.



Inscreva-se na minha lista

* indicates required